Detectores de Gás

Vamos Ajudar a Manter as Suas Instalações Seguras

A Deteção de Gases Inflamáveis ou Explosivos e Gases Tóxicos pode representar a fronteira entre a vida e a morte.
Aceder a salas, espaços confinados e locais onde exista a possibilidade de libertação deste tipo de gases requer que leve consigo detetores portáteis de gás fiáveis e de resposta rápida ou que existam no local detetores fixos que ativem o alarme em caso de perigo.

Veja alguns dos gases tóxicos e explosivos mais perigosos, quais os níveis críticos de concentração e quais os métodos utilizados para a deteção:

Os Compostos Orgânicos Voláteis – COV’s
COVs podem ser encontrados em ambientes domésticos e industriais e aparecem pela emissão de produtos industriais e produtos domésticos como por exemplo pesticidas, produtos de limpeza, colas, adesivos, diluentes e materiais de pintura.

Alguns dos COV’s mais conhecidos são:

– Formaldeído Acetileno – butadieno – metanol -dissulfato de carbono- sulfureto de dimetilo – etano – etileno – metilo-mercaptano – tolueno – acetato de vinil -acetona, benzeno – acetato de etilo – cloreto de vinil – xileno – e outros
Os efeitos na saúde são a irritação de nariz, olhos ou garganta, dores de cabeça, perda de coordenação motora, náuseas, danos no fígado, rins e sistema nervoso.
Os COVs podem ser detetados pelos sensores de PID (fotoionização) ou em alguns casos especiais por células eletroquímicas.

O Monóxido de carbono – CO
É o gás toxico mais abundante, não tem cor nem odor, com densidade igual à do ar sendo facilmente inalado. É chamado de “assassino silencioso” por se morrer sem se dar conta. E quando não se morre fica-se afetado com sintomas psicológicos e neurológicos graves.
Qualquer processo em que a queima de combustível é pobre em oxigénio leva à libertação de CO:

A deteção é feita com sensores eletroquímicos e os níveis perigosos são:

A exposição a 12800 ppm de CO leva à morte em 1 a 3 minutos e a 800 ppm em 2 a 3 horas.
Com apenas 35 ppm a exposição máxima é de apenas 8 horas – TWA

CO2
Tem concentração normal em espaços abertos de 250 a 350 ppm e em espaços fechados pode atingir a concentração de 1000 a 2000 ppm, considerando-se neste caso que o ar é de má qualidade e o limite é a 5000 ppm em que se sente mau estar e tonturas.
A exposição a níveis de 40000 ppm leva a danos cerebrais , coma e até à morte.
O nível de segurança máxima é 5000 ppm (0,5%vol.)

O CO2 apresenta um risco significativo na indústria cervejeira, sobretudo porque o gás é mais pesado que o ar e acumula-se em níveis baixos. Não tem cor, nem cheiro e não é inflamável. Há algum grau de risco, em lugares com muita gente ou mal ventilados.

A detecção de CO2 é em geral feita com os sensores de infravermelhos

O Limites de exposição ocupacional durante 8 horas é de 5000 ppm TWA

CL2
O cloro é altamente perigoso mesmo a níveis muito baixos de concentração 1 ppm TWA tem cheiro pungente, corrosivo e cor amarelada . É muito usado na purificação de água para abastecimento doméstico e em piscinas. É usado para fazer os compostos clorados, tais como o PVC, e para o branqueamento de papel e tecidos. É um gás muito pesado e é facilmente absorvido pela maioria dos materiais e muito difícil de detetar.

A deteção é feita com sensores eletroquímicos e os limites são TWA de 1 ppm em 8 horas
E 300 ppm risco de morte

CLO2
O dióxido de cloro – CLO2 é um gás amarelo avermelhado é utilizado no branqueamento de polpa de madeira, e na desinfeção da água.
Quando inalado, o CLO2 provoca irritação no nariz, garganta e pulmões e é perigoso em concentrações de 0,1 ppm durante 8 horas TWA

CLH2
O cloreto de hidrogénio é um gás incolor altamente corrosivo e tóxico. A inalação de vapores pode causar tosse, asfixia, inflamação do nariz, da garganta e, em casos graves, a morte. O limite de exposição para níveis ocupacionais é de 5ppm

H2S
O sulfureto de hidrogênio é um gás tóxico muito comum em refinarias por ser um subproduto nas reações de quebra das moléculas de hidrocarbonetos. Tem cheiro de ovos podres em baixas concentrações. Em altas concentrações (> 60 ppm) não pode ser sentido devido à paralisia das glândulas olfativas, e a exposição pode levar à paralisia instantânea. O H2S é um pouco mais pesado que o ar, e por isso os detetores são colocados a cerca de 1 m do solo
O H2S também é produzido durante a decomposição de materiais orgânicos e, é muitas vezes encontrado em galerias de esgoto ou locais com pouco oxigênio e matéria orgânica em decomposição. É um componente do biogás e encontrado em grandes quantidades em praticamente qualquer lugar em que o esgoto é tratado.

Os Limites de exposição ocupacional são
OSHA PEL: 20 ppm 50 ppm [10 minutos – pico]

SO2
O dióxido de enxofre é incolor e tem um cheiro asfixiante e ácido, quando dissolvido em água dando origem ao ácido sulfúrico. Junto com os óxidos de nitrogênio é a principal causa da chuva ácida.
Por causa das suas propriedades de esterilização é utilizado no processamento de alimentos.
Bastam 2ppm durante 8 horas para estar no limite.

SF6
É usado na indústria elétrica como isolante gasoso, altamente resistente à corrente elétrica, usado em circuitos de disjuntores de alta tensão, interruptores, e outros equipamentos elétricos.
Quando SF6 é inalado, a voz diminui dramaticamente porque a velocidade do som no gás SF6 é consideravelmente menor do que no ar. Como SF6 é cinco vezes mais pesado do que o ar, o O2 é deslocado provocando efeitos graves na saúde.

Limites de exposição ocupacional 1,000 ppm durante 8 horas TWA.

O3
O ozono é um gás instável, e é gerado pela ação do raio ultravioleta no oxigênio (O2) para se ligar de maneira instável a outra molécula de oxigênio para formar o O3. É cada vez mais utilizado para o tratamento de água no lugar do cloro. O ozono pode ser detectado em baixas concentrações electroquimicamente.

Os limites de exposição ocupacional são de 0.1 ppm TWA

O fosgênio
É um importante produto químico industrial usado na produção de plásticos, corantes e pesticidas podendo causar lesões na pele, olhos, nariz, garganta e pulmões.
Basta a concentração de 0,1 ppm TWA para se tornar perigoso

Gases Inflamáveis:
Os Gases inflamáveis típicos são o Acetileno, amoníaco, hidrogénio, propano, propileno e metano que em determinada concentração no ar ardem ou explodem quando em presença de uma fonte de energia. Mas se a mistura for demasiado rica ou demasiado pobre a ignição não acontece.

Amoníaco:
O amoníaco é um gás alcalino, oxidante e tóxico. Sua densidade é quase metade da densidade do ar e tem um odor característico. O nível de segurança máxima é 25 ppm e O nível imediatamente perigoso para a vida é de 300 ppm (IDLH).
A deteção e feita com detetores PID

Oxido etileno
É usado como um intermediário na produção de etileno glicol que é amplamente usado como um fluido de arrefecimento de automóveis e anticongelante. É um gás inflamável incolor ou líquido refrigerado com um odor levemente doce.
Os Limites de exposição ocupacional são de TWA 1 ppm e o risco de vida a 800 ppm

Os Sensores para a deteção destes gases são:

– Eletroquímicos para a deteção de gases tóxicos e O2
– Catalíticos ou semicondutores para deteção de gases inflamáveis combustíveis
– PID de fotoionização para a deteção de gases COVs
– Infravermelhos para deteção de CO2 e de gases inflamáveis quando no ambiente existem gases venenosos e quando se pretende maior longevidade do sensor.

Com os detetores OLCT 100 é possível detetar praticamente todo o tipo de gases tóxicos e inflamáveis utilizando os sensores específicos.
A longevidade dos sensores vária de 1 a 5 anos de acordo com a aplicação e com o tipo de gás em presença

A instalação do detetor depende da densidade do gás a detetar sendo colocado perto do solo ou perto do teto dependendo se o gás é mais ou menos denso que o ar respetivamente.

Estes detetores estão aplicados em milhares de instalações em todo o mundo em refinarias, na indústria química, farmacêuticas, alimentação, estações de tratamentos de águas, etc…

Como ter mais SEGURANÇA na deteção de gases com os detectores de gás transportáveis.
Se tiver de aceder ou de trabalhar em zonas perigosas onde em segundos se pode morrer por estar em contacto com um gás toxico ou explosivo, vai confiar apenas no seu detetor portátil ou no detetor fixo?
Será que esses detetores de gases estão calibrados e em correto funcionamento?
Para sua segurança ou da sua equipa de trabalho utilize um sistema REDUNDANTE

Quando se deslocar para zonas com perigo de gases em Refinarias, em Químicas, em Estações de tratamento de águas residuais e em muitos outros casos pode evitar o perigo levando consigo a unidade transportável BM 25 coloca-la no local perigoso que pretende monitorizar e programa-la para comunicação com a central de controle.
Dependendo da área a abranger assim poderá utilizar uma ou mais estações BM25 e programa-las para comunicarem entre si e com o painel de controlo MX 40

Com a BM25 transportável poderá medir em simultânea até 5 gases e transmitir essa informação à distancia sem cabos para a MX 40 onde poderá centralizar toda a informação de varias BM 25.
Com a BM25 poderá medir:
AsH3 – CO – CO2 – H2 – HCl – HCN – NH3 – NO2 – O2 – PH3 – SiH4 – SO2
Em zonas classificadas zonas 1 e zona 2

Os detetores de gases Duplos Autónomos e com sirene

Capaz de detetar qualquer combinação de gases para um ambiente específico, o iTrans2 utiliza a tecnologia de infravermelhos para medir diferentes tipos de gás explosivo (metano, butano, propano, etileno, hexano, etc.) nas condições ambientais mais adversas, onde a presença de gases venenosos pode prejudicar o uso de uma célula catalítica.
Além da gama de sensor LEL, o detetor do iTrans2 também pode ser configurado com 0-100% volume metano para aplicações de biogás e sensores infravermelhos de CO2 que variam de 0,5% do volume a 100% volume.
Este transmissor é autónomo pode ligar-se a 2 sensores no mesmo transmissor , tem indicador local, sinal de rele e sirene de alarme incluída.
Os iTrans2 são construídos em caixa de alumínio ou em caixa de aço inox, tem certificação para uso em zonas explosivas, com Protocolo HART, diagnóstico remoto e calibração automática por corrente de alta frequência no sinal de 4-20 mA.

Detectores de Gases Portáteis

Detectores portáteis para gases tóxicos, explosivos ou oxigénio. Essencial na segurança pessoal de trabalhadores em áreas de risco.

MX6 DETECTOR MULTIGÁS

Para monitorização precisa de O2, gases tóxicos, explosivos e VOC´s, o MX6 permite a detecção de até 6 gases em simultâneo. O 1º detector com LCD a cores.
Mais Informação »

MX4 VENTIS DETECTOR MULTIGÁS

Detector Multigás de grande robustez e fiabilidade para monitorização de O2, gases explosivos, e 2 gases tóxicos entre H2S, NO2, CO e SO2
Mais Informação »

GASBADGE PRO DETECTOR MONOGÁS

Para medição de gases tóxicos ou oxigénio. O sensor substituivel permite a medição de outros gases em qualquer altura.
Mais Informação »

C1100 DETECTOR DE CO2

Para detecção de dióxido de carbono (CO2) com tecnologia infra-vermelhos, que assegura longo período de operação.
Mais Informação »

Detectores/Transmissores de Gases

Detectores/Transmissores para gases tóxicos, explosivos ou oxigénio. Asseguram uma detecção/monitorização em contínuo na sua aplicação

OLCT 100 DETECTOR GÁS

Concebido para detecção de gases explosivos, tóxicos ou oxigénio, o detector OLCT 100 tem saídas 4-20mA ou ponte wheatstone e dispõe de sensores cataliticos, electroquimicos, semi-condutor ou infra-vermelhos para ambientes mais agressivos e com contaminantes onde os sensores cataliticos não podem ser utilizados. Com aprovação ATEX, à prova de explosão ou intrinsecamente seguro conforme a versão. Tem certificação SIL 2 de acordo com EN 50402, o que faz do OLCT 100 um detector extremamente seguro.
Mais Informação »

OLCT 80 DETECTOR GÁS

O OLCT 80 é o detector mais funcional e completo. Tem relés integradas e pode funcionar como central de controle autónomo. Ligação em loop até 16 detectores, saídas analógicas e digitais, controlo remoto IR. O detector mais completo para gases explosivos, tóxicos, oxigénio e COV´s.
Mais Informação »

OLCT 60 DETECTOR GÁS

O OLCT 60 é resistente e robusto, tem sensores pré-calibrados, saída 4-20mA, indicação digital e 2 leds. A versão remota OLCT 60 AD permite detecção em zona 0.
Mais Informação »
1

OLCT IR DETECTOR DE GASES EXPLOSIVOS

Com tecnologia infra-vermelhos assegura um longo periodo de vida e precisão na medição de gases explosivos. Com aprovação ATEX.
1

CEX 300 DETECTOR DE GASES EXPLOSIVOS

O CEX 300 é um detector de gases explosivos. Com construção em policarbonato resistente é indicado para aplicações comerciais e industriais.
Mais Informação »
1

CTX300 DETECTOR GASES TÓXICOS OU OXIGÉNIO

O CTX 300 é um detector de gases tóxicos ou oxigénio. Com construção em policarbonato resistente é indicado para aplicações comerciais e industriais. Com indicador local opcional.
Mais Informação »

OLCT/OLC10 DETECTOR GASES COMBUSTIVEIS, TÓXICOS OU OXIGÉNIO

O OLC10 e OLCT10 são detectores de gases explosivos ou tóxicos (CO, NO e NO2). Construção em ABS indicado para aplicações comerciais ou semi-industriais como parques de estacionamento, casa de caldeiras, etc.
Mais Informação »

Centrais de Monitorização e Alarme

Centrais de monitorização e alarme para ligação de detectores de gás. Com vários tipo de entradas, saídas relé, indicação digital, etc… permitem o controle e monitorização na sua aplicação

MX 15 CENTRAL COM 1 CANAL

A MX 15 é uma central de 1 canal concebida para aplicações comerciais ou semi-industriais. Tem relés, écran LCD e teclas, avisos sonoros e visuais.
Mais Informação »
1

MX 32 CENTRAL COM 1 OU 2 CANAIS

A MX 32 é uma central com 1 ou 2 canais, concebida para aplicações simples comerciais ou industriais. Até 5 relés, écran LCD e teclas, avisos sonoros e visuais.
Mais Informação »

MX 43 CENTRAL DE 4 E 8 CANAIS

A MX43 é uma central da nova geração, que permite a integração de até 16 transmissores analógicos ou 32 transmissores digitais. Altamente flexivel, tem disponiveis modulos com entradas ou saidas digitais, analógicas, relés,… Versão mural ou Rack, sirene e flash opcionai, interface grafico muito completo e fácil de utilizar, bateria de backup integrada.
Mais Informação »

MX 62 CENTRAL DE 64 CANAIS

A central MX62 é a solução para detectores de gás ou chama, modulável e flexivel, de fácil instalação e que reduz custos de operação. A central de gás MX62 cumpre os requisitos ATEX 100 A e oferece a máxima segurança de acordo com a certificação SK2 e SIL3.
Mais Informação »

CPS SISTEMA PARQUE AUTOMÓVEL

Sistema completo para detecção e monitorização de gases em parques automóveis ou túneis. O CPS – Car Park System, integra até 256 sensores para 10 gases.
Mais Informação »

MX 52 CENTRAL DE 16 CANAIS

A central de monitorização e alarme MX 52 tem entradas para até 16 transmissores de gases explosivos (4-20mA ou ponte wheatstone) ou gases tóxicos. O sistema modular desta central permite alta flexibilidade e adaptação à sua aplicação. Tem certificação SIL 2 de acordo com EN61511. Montagem em RACK 19″.
Mais Informação »

Garantia

Todos os Nossos Sistemas de Detecção de Gás Têm 2 Anos de Garantia

Clientes Satisfeitos

Quer Saber Mais Sobre os Nossos Detectores de Gás?